sexta-feira, 4 de maio de 2018

ESCOLHERAM E VOTARAM

Atividade "Deixa a marca no teu marcador"
Finalmente há resultados 

- Foram a votos 99 marcadores de livros

- Votaram 128 alunos

... e os vencedores são....
1º LUGAR - com 42 votos o marcador da autoria do aluno Nuno Sobral do 4º ano turma da Prof. Gabriela Ferreira 
2º LUGAR - com 12 votos o marcador da autoria da aluna Anabela do 4º ano turma da Prof. Helena 
3º LUGAR - com 9 votos o marcador da autoria do aluno Vasco do 3º ano turma do Prof. Manuel 







MÃE



DESCOBRE...

O Dia da Mãe foi oficialmente criado pela norte-americana Anna Jarvis, que perdeu a sua mãe em 1904. Mas a História deste dia começou muito antes, há mais de 2000 anos! 
Anna Jarvis
As mais antigas celebrações do Dia da Mãe estão ligadas à comemoração do início da Primavera, na Grécia Antiga. Estes festejos eram em honra da Deusa Rhea, mulher de Cronos e mãe de todos os deuses desta cultura.
Por seu turno, em Roma, as festas comemorativas do Dia da Mãe eram dedicadas a Cibele, a mãe dos deuses romanos. O dia dedicado a esta deusa foi criado cerca de 250 anos antes do nascimento de Cristo.
Durante o século XVII, a Inglaterra celebrava no 4º Domingo da Quaresma (os 40 dias antes da Páscoa) um dia chamado "O Domingo da Mãe", dedicado a todas as mães inglesas. Nesta época, a maior parte da classe baixa inglesa trabalhava longe de casa e vivia com os patrões.

Assim, no Domingo da Mãe, os criados tinham um dia de folga e eram encorajados a regressar a casa e passar esse dia com a sua mãe.
Sabias que a primeira vez que se falou realmente num dia especial só para mães foi nos Estados Unidos em 1872?
Julia Ward Howe
Julia Ward Howe e algumas colegas uniram-se para lutar contra a guerra e, segundo elas, o Dia da Mãe seria um dia de paz
Só em 1904 é que a ideia começou a pôr-se em prática.
Quando a mãe morreu, Anna Jarvis começou a chamar a atenção das pessoas para a importância de um dia especialmente dedicado a todas as mães. Três anos depois, a 10 de Maio de 1907, conseguiu celebrar o primeiro Dia da Mãe.
Nesse dia, Anna Jarvis enviou à igreja onde estava a ser feitas as comemorações 500 cravos brancos. Estas flores deviam ser usadas por todos e simbolizavam todas as coisas boas da maternidade.
Ao longo dos anos esta senhora enviou mais de 10 mil cravos para a igreja:
- encarnados para as mães ainda vivas e
- brancos para as já desaparecidas.
Sabias que ainda hoje os cravos são mundialmente considerados os símbolos da pureza, força e resistência das mães?
O objetivo deste dia é dar mais atenção à importância das mães, pensar nelas, conversar, oferecer presentes e descobrir novas maneiras de lhes dar felicidade!
ADOLPHE JORDAN 
Em 1911, o Dia da Mãe foi celebrado em praticamente todos os Estados Unidos da América e, em 1914, o presidente declarou oficialmente e a nível nacional o 2º Domingo de Maio como o Dia da Mãe.
Hoje em dia, celebra-se o Dia da Mãe com pouco conhecimento de como tudo começou. No entanto, podemos identificar-nos com o respeito, o amor e a honra demonstrados por Anna Jarvis.
Apesar de cada país escolher datas diferentes ao longo do ano para festejar o Dia da Mãe, o objetivo é sempre o mesmo: homenagear aquela que nos põe no mundo!
Em Portugal, até há alguns anos atrás, o Dia da Mãe era comemorado a 8 de Dezembro. Sabias que este é o dia de Nossa Senhora da Conceição, ou seja, o dia de Nossa Senhora como mãe. Por isso foi escolhido este dia. 


 Atualmente, em Portugal, o Dia da Mãe é comemorado no 1º Domingo de Maio!
(Inf.via junior.te)

quarta-feira, 2 de maio de 2018

ESCOLHEREM e VOTAREM ...

... hoje é a vez de na "casa pequena onde todos cabem", ao longo de toda a manhã, @s noss@s alun@s do 1º ciclo ESCOLHEREM e VOTAREM 
Atividade "DEIXA A TUA MARCA NO MARCADOR"









segunda-feira, 23 de abril de 2018

Uma EXCELENTE forma de celebrar o Dia Mundial do Livro

ACONTECEU HOJE

"Finda a campanha eleitoral e após um dia de reflexão, realizam-se hoje, Dia Mundial do Livro, as eleições em que os alunos portugueses, do 1.º ao 3.º ciclo vão escolher os seus livros favoritos.
Depois de todas as ações que levaram a cabo para defenderem os "seus" livros, chegou o dia aguardado com grande expectativa. Em cada escola, os resultados podem ser conhecidos logo que o apuramento esteja feito, mas, a nível nacional, os eleitos só serão divulgados na cerimónia pública que terá lugar no dia 30 de maio, na Feira do Livro de Lisboa. O escrutínio será feito pela Pordata."(Inf. via RBE)

As eleições de «Miúdos a Votos» realizaram-se hoje, 23 de abril. Foi uma maneira inédita das escolas comemorarem o Dia Mundial do Livro. Uma das partes muito importante desta iniciativa, na nossa opinião, é a colaboração dos alunos no processo eleitoral, tanto acompanhamento da votação como participando na contagem dos votos.

A nossa "casa pequena onde todos cabem" foi uma "secção de votos", os delegados e sub delegados de turma "passaram" a ser "presidentes de mesa e secretár@s". Houve grande afluência à urna 
Projeto fantástico!!!
(Iniciativa da Revista Visão Júnior e RBE)



















HOJE, DIA MUNDIAL DO LIVRO



O Dia Mundial do Livro é comemorado, desde 1996 e por decisão da UNESCO, a 23 de Abril. Pretende anualmente promover o prazer da leitura e o respeito pelos livros e pelos seus autores.
Esta data foi escolhida com base na tradição catalã segundo a qual, neste dia, os homens oferecem às suas «damas» uma rosa vermelha de S. Jorge e recebem em troca um livro, testemunho das aventuras do cavaleiro. Em simultâneo, é prestada homenagem à obra de grandes escritores, como Shakespeare, Cervantes e Garcilaso de la Vega, falecidos em abril de 1616.
Em 2018, e porque se comemora o Ano Europeu do Património Cultural, a Direção-Geral do Livro, dos Arquivos e das Bibliotecas quis relacionar a noção de património com o valor cultural e intemporal do Livro e da Leitura. Resultado do conjunto de várias forças, desde o autor ao leitor, passando pelo editor, tradutor, revisor, designer, ilustrador, tipógrafo, livreiro, animador da leitura, o Livro encontra o seu valor intemporal quando é lido e passado de geração em geração, de uma língua para outra língua, de um suporte para outro suporte de leitura.
O cartaz deste ano, baseado numa fotografia que a fotógrafa Luísa Ferreira concebeu no Arquivo Nacional Torre do Tombo, com design da LUPA Designers, pretende transmitir, metonimicamente, que um livro cruza justamente tudo isto: tempo, espaço, língua, cultura, imagem, suporte, fotografia, escrita, mas também uma leitura e muitas leituras, prazer e fruição.  
(Inf. via dglb)

segunda-feira, 16 de abril de 2018

Uma atividade MUITO ESPECIAL

"O meu Primeiro Dia... no 5º Ano" 
I - Grupo - Alunos da Prof. Arminda Rodrigues 
Muitas diferenças para igual interesse sobre as nossas bibliotecas